Roberto Macchado - numerólogo. Site Oficial

Projeto Numerologia Pitagórica e ABRAN

 

Quando cresci não tinha ideia de como seria minha vida.

Mas, algo interiormente indicava que eu teria que fazer escolhas.

Sentia que não queria viver uma vida dentro dos padrões estabelecidos.

Era pouco ter uma vida assim.

 

Aos 16 anos fiz uma escolha importante e determinante em minha vida.

Fui em busca de como praticar espiritualidade.

Minha formação familiar ajudou-me muito nessa escolha.

Meu querido pai era católico atuante.

E minha querida mãe espírita atuante.

Cresci convivendo com essas duas religiões.

E, então, aos 16 anos resolvi participar da Umbanda.

Minha passagem pela religião umbandista foi marcante.

Nela aprendi a importância de respeitar, incondicionalmente, todas as religiões e, também, os seus adeptos.

 

Aos 18 anos sentia que deveria buscar por mais informações sobre espiritualidade.

Nessa busca, deparei-me com o kardecismo na Federação Espírita do Estado de São Paulo.  

E permaneci na Federação dos 18 aos 28 anos. Aprendendo sobre o kardecismo de Allan Kardec.

Minha estada na Federação Espírita foi valiosa e marcante.

Dois fatos que vivi determinaram novas posturas em minha vida.

Fato 1

Aos 18 anos quando cheguei na Federação havia na recepção uma senhora que deveria ter 70 anos. Sorridente, atenciosa e boa ouvinte encaminhou-me para o aprendizado.

E, nesse nosso primeiro contato, ela ensinou-se a importância de sorrir, dedicar atenção as pessoas e saber mais ouvir do que falar.

Permaneci 10 anos em cursos e demais atividades.

Fato 2

Próximo a terminar o décimo ano na Federação já havia determinado interiormente que buscaria por uma nova atividade espiritual.

Ao terminar o último curso houve um momento que seria necessário praticar a incorporação. Que consiste em “dar voz” para um espírito falar através de nosso corpo.

Eu e mais uma pessoa fomos encaminhados a uma sala com uma orientadora.

Essa orientadora era exatamente a senhora que havia me recepcionado quando cheguei na Federação pela primeira vez.

Depois de várias tentativas a senhora percebeu que não tinha havido nenhuma incorporação comigo.  

E, categoricamente, afirmou:

“Sua mediunidade é a da psicografia”.

E, nesse nosso segundo e último contato, ela desenhou minha vida futura.

 

Saí da Federação aos 28 anos e até os 42 anos continuei praticando o espiritismo kardecista sem vínculo com qualquer religião ou entidades.

 

Um fato marcante e significativo aconteceu em minha vida aos 24 anos.

Minha irmã Rosana frequentava um curso de Astrologia.

Nos dias de aulas eu a esperava em casa à noite para ouvir sobre o que ela tinha aprendido.

Ela contava em detalhes e exemplificava os seus aprendizados no curso.

Foi, o meu primeiro contato com o esoterismo.

 

O Projeto Numerologia Pitagórica e ABRAN começou em minha vida aos 42 anos. Exatamente em 06/09/1996 quando fundei a ABRAN Associação Brasileira de Numerologia.

E teve os seguintes objetivos:

1 – Escrever e divulgar o conteúdo da Numerologia Pitagórica. Composto por conceitos, técnicas e temas que informava, orientava e determinava como prestar os serviços e ensinar os cursos de Numerologia.

2 – Fundar uma associação de classe que pudesse representar a Numerologia Pitagórica.

3 – Formar numerólogos profissionais e reconhecidos para atuarem.

 

Eu nunca fiz um curso de Numerologia e ninguém nunca interpretou o meu Mapa Numerológico Natal.

Comecei a escrever o conteúdo no ano de 1996 e terminei no ano de 2014.

Concluindo assim o Projeto.

E, somente quando tinha concluído a escrita, no ano de 2014, é que descobri que a senhora sorridente da Federação Espirita tinha razão quando afirmou:

“Sua mediunidade é a da psicografia”.

Sim. Foi isso mesmo.

Todo o conteúdo por mim escrito e tudo que envolveu a implantação e o desenvolvimento do Projeto tinha sido transmitido.

 

O Projeto durou 18 anos - de 1996 a 2014 -.

Não consigo contar ou enumerar os aprendizados que tive e que vivi durante o Projeto.

Mas, três aprendizados marcaram de maneira determinante e eterna o meu Ser.

São eles:

Com os errados eu aprendi a não errar.

Com os certos eu aprendi a acertar.

Por isso, agradeço a todos que passaram pela minha vida.

Não há na vida maior conquista que o conhecimento adquirido.

Há uma conexão direta entre você e aqueles que antecederam o seu nascimento.

 

Em meu 4º livro A Voz e eu escrevo a história detalhada sobre o Projeto Numerologia Pitagórica e ABRAN.

A história que contamos nesse livro é antiga.

Não contamos pelo começo e sim, pela continuidade.

Mas, é uma história que teve fim.

O belo fim que determina o nascimento duma nova história.